Pular para o conteúdo principal

O que a Globo, liderando a mídia, quer que você acredite.



Caro amigo virtual.

O que a Globo e a mídia quer que você acredite.

Em primeiro lugar, acho que a Mídia vai tentar lhe convencer que Temer, o caridoso, só estava com peninha da família de Eduardo Cunha quando disse o que disse sobre a mesada de 400 mil por semana a Funaro para manter ele e Cunha “em silêncio”, fora um residual de 5 milhões. Como se os milhões do casal Eduardo e Cláudia tivesse realmente sido transferido para outra dimensão e desaparecido do planeta terra. Tadinhos, né?
Se essa conversa para manter Temer na presidência não colar, e acho difícil que cole, Temer vai cair. É o mais provável. E se ocorrer à queda de Temer, a Mídia vai tentar convencê-los que deveremos respeitar a Constituição assim como está pregando Fernando Henrique Cardoso, aquele ex-presidente que, em sua trajetória, nunca respeitou a Constituição ou o próprio país. Lembre-se da compra de votos para reeleição? Ele, FHC, não respeitou a Constituição quando comprou votos para mudar o prazo máximo de governo para o cargo de Presidente da República de quatro para oito anos. Assim como o Congresso, o Supremo Tribunal Federal e a Mídia não a respeitaram para tirar Dilma Rousseff do cargo de Presidente eleita. Eles deram um jeitinho de interpretar a Constituição de modo a cassar mais de 40 milhões de votos e acabar com a vontade soberana do povo que elegera Dilma Rousseff. 
A Constituição, a lei básica de nosso país, que o STF amassou e jogou fora para colocar essa turma que é acusada de ser o maior grupo de corruptos que já assumiu o governo brasileiro em todos os tempos e que quer, a todo custo, se manter lá.
Nós não podemos deixar.  
Bem, vamos pensar juntos: segundo essa Constituição, que ninguém respeita, quem assumiria no caso da cassação de Temer seria o presidente da Câmara. Sim. Seria. Não é, porque o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, está sendo investigado pelo STF e não poderá assumir nem interinamente a Presidência. Restaria, então, pela mesma Constituição, o presidente do Senado para assumir. Só que Eunício Oliveira, presidente do Senado, também não poderá assumir pelo mesmo motivo de Rodrigo Maia. Ambos são suspeitos de corrupção, ambos fazem parte da mesma máfia de Aécio e Temer. Então, só sobra a digníssima, Vossa Excelência, Sra Carmen Lúcia, presidente do STF.
Vale lembrar que, por simples coincidência, Carmen Lucia é a Juíza que deveria ter defendido nossa Constituição quando inventaram de rasgá-la para retirar  Dilma Rousseff e colocar nosso país nessa esdrúxula situação de ter um grupo de corruptos na liderança de cada poder: Câmara, Senado e Executivo. Quero dizer suspeitos, perdoem: suspeitos de corrupção.
Repare que  há três presidentes envolvidos em uma suja quadrilha vinculada estreitamente com a Corrupção e com o travamento das investigações do Lava Jato. Supostamente, como dizem os jornais. 
Bem. A Mídia quer colocar Vossa Excelência Carmen Lúcia como presidente interina e colocar o Congresso, isso mesmo que você entendeu, o Congresso para eleger o Presidente. Veja se não é surreal: a Câmara elegeu um investigado por corrupção como Presidente, o Senado elegeu outro investigado por corrupção, e, ambos estão intimamente ligados a Temer, Aécio Neves e a corrupção denunciada com fartas provas por Joesley Batista da JBS. É esse Congresso que eles querem que elejam o Presidente? Esse Congresso que lutou para tirar de vocês trabalhadores direitos essenciais para uma vida com mínimo de dignidade. Um Congresso que queria, para agradar alguns bancos, levá-los a trabalhar até a beira da morte.
Vou repetir, é esse congresso que eles querem para eleger o próximo presidente do poder Executivo. Não é engraçado?
A Globo, veículo que lidera o oligopólio de mídia no Brasil, só quer defender os ganhos de uma ínfima minoria de plutocratas onde seus proprietários se aconchegam enquanto lutam apoiando os lobbys que só querem retirar direitos duramente conquistados dos trabalhadores.
Hoje mesmo, o Estadão, jornal do oligopólio citado, despudoradamente, tenta nos convencer que deveríamos colocar como nosso presidente Henrique Meirelles. É. Meirelles, o ministro da fazenda de Temer que, em 2012, assumira o conselho de administração J&F, holding que controla a JBS, a mesma empresa que está confessando seu envolvimento no pagamento da propina a Eduardo Cunha e que Michel Temer pediu para manter calado. É isso mesmo que você leu. Parece piada, mas não é. Eles querem manter o desemprego, a recessão e o arrocho que só interessa aos rentistas, banqueiros e ao oligopólio da mídia. Eles acreditam que você é UM ZUMBI ou um TREMENDO IDIOTA para acreditar nos sofismas que usam para lhe enganar.
Compadre, o Brasil só tem uma saída. Eleições diretas já.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ostra

Ostras
Antes de sair do hotel, tendo a irmã Célia ao lado, escreveu para Ione: “Querida, sua detenção é passageira. Tudo não passa de um equívoco. O marido de Célia, e ele é muito influente, assegurou que eu a encontrarei livre no meu regresso. E que retornaremos a Paris sem nenhum problema. Sigo para Bahia nesta manhã, em busca daquele ferroviário, e já tenho reserva para voltar à noite. Por que diabo você se meteu a doutorar-se em ciências políticas e aventurar-se a fazer perguntas num momento como o atual? Com um beijão”. E assinou. A irmã riu ao ler o texto. Disse: -- Menina de família rica, tantos anos estudando na França, de repente presa, de repente podendo ser solta, que coisa mando preparar para jantarmos? Informou: -- Ione adora ensopado de filé com repolho. Filé cortado em pequenos pedaços, é claro. E como ela gosta de dizer, “mixórdia de picles”. Invenção dela. -- Como é que é isso? -- É simples: compre dois pacotes de picles, ponha tudo no liquidificador, misture com duas col…

Aniversário de Ariovaldo Matos, Os Dias do Medo. Romance.

ESCLARECIMENTO PRELIMINAR

Morto a 4 de janeiro de 1968, aos setenta e um anos, o senador Antônio Petrucci recompôs – por vezes dando-lhe forma romanesca – aqueles que considerou os mais importantes episódios de sua vida. Uma vida que, acredito, foi muito rica de acontecimentos. Dois ou três dias antes de expirar, ainda lúcido e após assinar seu generoso testamento (1), reafirmou o empenho de que eu expurgasse do texto quanto contribuísse, de algum modo, para lhe embelezar a personalidade. Convenientemente cadáver, queria-se nu diante da opinião pública. E não só a brasileira. Terei de investir bons milhares de dólares para traduções em italiano e em francês, obrigação que hoje não me desagrada: suponho experiência interessante ser personagem. Trabalhei com afinco, pesando e sopesando os capítulos e “notas adicionais” que me foram confiados. Quando chego ao “the end” da tarefa, penso ter cumprido, com algum zelo, a última ordem daquele a quem prestei uma colaboração que ele próprio reco…

O Desembestado ou a Escolha. —

O Desembestado
Naquele frio 21 de junho, a sra. Zulnara, piedosa e convicta irmã de Maria, contava ao esposo um episódio da existência temporal de São Luis de Gonzaga e ele, já habituado as eventuais crises religiosas de sua companheira, sentia certo prazer em escutar a narrativa que a voz tímida ia desenvolvendo: — ... e então — disse ela — um terrível surto de peste assolou a cidade de Roma. São Luiz nem padre era, ainda, mas pediu permissão aos superiores do Seminário e saiu a cuidar dos enfermos, a muitos confortando. Aquela moléstia, porém era transmissível e ele também ficou doente. Padeceu dias e dias e, afinal, mártir da caridade, morreu em 1591 com apenas 23 anos mas já estava madurinho para o céu. — Virou Santo? — perguntou Albano, com algum interesse e uma pontinha de dúvida. — Sim. Albano tinha pensado num argumento qualquer, anti-santificador, em que prevaleciam drogas químicas como sulfonas e coisas aparentadas, mas a verdade é que não chegou a concluí-lo mentalmente. Mesmo …